1940



Esta é uma fotografia da mestre Dorothea Lange, em plena Depressão. Este homem era um apanhador de algodão, um migrant, um de muitos milhares à deriva numa América sem comida nem futuro. A América de Steinbeck. A América do barril de madeira como fato. A América com calos, a preto e branco, ou da cor da terra, do pó. Não sei porquê, mas uma América que sempre me inspirou a maior curiosidade, como que uma dimensão à parte, um bocado do século XX à parte. Este homem apanhava algodão de terra em terra, de sol a sol, de ferida a ferida. 1940.