Posta com banda sonora I: Rossini, "Stabat Mater"



Colocada a esperança na água, restava apenas entrar. Ele entrou vagarosamente, sacudiu a neve do sobretudo, e parou. Ela entraria minutos depois, a passo breve, sob a observação de gárgulas. O corpo, porém, permanecia imutável, ao fundo. Tinha sido rápido. Haveriam de passar anos sobre a próxima visão das águas, e porém ambos se mantinham à distância prudente do som, como se a temperatura não fosse passível de ser alterada. Jamie tinha três anos agora em putrefacção lenta. À luz da crucificação, não teria culpas. À sombra do corpo, assumia a responsabilidade de estar no tempo. A fragilidade do estado teria sido maior que a vontade divina, e agora apenas restava entrar e percorrer as galerias, a metros. Ele olhou para o relógio e abstraiu-se do corpo. Ela passou levemente os dedos nas arestas do penúltimo banco, à procura das formas, e regressou, como se a abstracção tivesse um simulacro de controlo.