Choque tecnológico

Mudar de casa implica mudar um conjunto de fornecedores. Água, luz, gás, televisão. Internet. E é espantoso como em Portugal esta última custa. Água, luz, gás, televisão, na primeira semana. Internet, com sorte, ao fim de uns bons dois meses. Contratos perdidos, desconhecimento, estafetas que não aparecem, PT que demora tudo o que puder a instalar linha, etc, etc, etc. E vai uma viagem até casa da mãezinha para actualizar a chafarica. Mais do que tudo, irrita-me a impossibilidade de interacção desfasada. A mobília está lá toda, mas faltam os sinais no ar a provocar leucemia. Ainda não há conforto. A mensagem de "offline" é uma depressão crescente. Eu queria mudar de vida, mas não assim. Por este andar, qualquer dia passo o tempo apenas e só a estender roupa, engomar, ver televisão, ler um livro. E isso não é vida para ninguém.