Madeleine

A esta hora, a pequena Madeleine já estará num húmido primeiro andar em Istambul, com três Xanax no bucho e pronta para a diversão. Quando a GNR começou a procurar já iria para além de Huelva. Ainda assim, é curioso reparar que:

1) - Há uns anos, lembro-me do desaparecimento do Rui Pedro, caso também ele mediatizado. Mas não me lembro de forças especiais de procura, nem de peritos forenses, nem de hordas (bonito, heim?) de gente a correr o país à procura do puto. Lembro-me que mais tarde surgiu uma foto apanhada num PC de um pedófilo que talvez fosse o Rui Pedro. Mas não vi ministros a discursarem sobre o assunto, nem a PJ a fazer comunicados diários, nem a contribuição de forças policiais estrangeiras. Quantos Rui Pedros houve desde então?

2) - Se bem me lembro, o Rui Pedro não tinha três anos quando desapareceu. Nem tinha sido deixado a brincar numa estância, com irmãos mais pequenos, enquanto os pais foram alegremente jantar fora a 50 metros de distância. Se calhar os pais do Rui Pedro, quando iam jantar fora, até levavam o Rui Pedro. Ou então, se o Rui não se portava bem à mesa, não iam e ficavam todos em casa. Ou se calhar os pais do Rui Pedro aproveitaram para ir jantar fora sozinhos antes do Rui Pedro nascer, ou então pediram a alguém para ficar com o Rui Pedro enquanto precisavam de algum tempo sozinhos;

3) - Se bem me lembro, não me lembro de uma onda de comoção por causa do Rui Pedro. Os "Casos de Polícia", na SIC, lançaram a foto do Rui publicamente, mas não me lembro de entrar num café e ver gente de lágrimas nos olhos a olhar para o pequeno ecrã. Nem me lembro de reportagens especiais e directos e debates e programas específicos, diarios, durante duas semanas, sobre o Rui Pedro. Deve ser Alzheimer, muito possivelmente, dados os meus 27 anos de idade, são os primeiros sintomas;

4) - Agora que penso nisso, o Rui Pedro não tinha pais ingleses. Nem era loiro, pequenino, com olhos amendoados e ar angélico. Ah, e quando o Rui Pedro desapareceu, a Europa ainda não tinha tido o privilégio de conhecer Marc Dutroux. E ainda os bispos norte-americanos brincavam aos médicos, assumindo claramente o erro de vocação e instrumentalizando a palavra do Senhor da mesma forma que um engenheiro bioquímico ucraniano se assume com trolha em Salvaterra de Magos;

Claro que a pequena Madeleine não tem culpa. E nunca saberá sequer, o que lhe aconteceu, ou quem era o Rui Pedro. Ainda assim, talvez se encontrem.