6 filmes para 2006

Actualmente em Portugal estreiam dezenas de filmes por ano. A maior parte acaba por não ter interesse e ser apenas para vender pipocas nos grandes centros comerciais de Lisboa e Porto, mas como é óbvio ainda há coisas pelas quais vale a pena salivar. Para 2006, e muitos outros podiam fazer parte desta lista, ficam seis que podem marcar o ano. Primeiro que tudo Munich, o novo de Spielberg. Porque é de Spielberg, porque é sobre os problemas nos Olímpicos de 1972, porque esses problemas envolvem israelitas e palestinianos, porque ao que consta Spielberg deixou a sua costela judia em casa e fez algo unbias, o que lhe está a custar ataques de vários sectores nos EUA. Mais informações no site oficial, aqui. Munich estreia em Portugal em Fevereiro. Depois há o novo de Terrence Malick, sete anos depois de "A Barreira Invisível". O mais convicto eremita do cinema actual fez The New World em 2005, que chega agora, creio que ainda no primeiro semestre, aqui ao cantinho da Europa. Pelo trailer a coisa não parece grande espiga, mas Malick é Malick. The New World é a história da Pocahontas, descoberta da América, confronto com indígenas, bla, bla. A história está muito, muito gasta, em várias versões, e portanto é bom que Malick não tenha estado sete anos a hibernar para depois fazer um desastre. A ver vamos. Mais info aqui. A 9 de Fevereiro, se não houver alterações, surge Brokeback Mountain, o novo de Ang Lee. Eu não sou um indefectível de Lee, achei Crouching Tiger, Hidden Dragon muito mau quando toda a gente achou genial. E The Hulk era simpático, mas nada do outro mundo apesar de ser verde. Este Brokeback Mountain vem com pergaminhos do Festival de Veneza, e é isso sobretudo que faz salivar. Aliado, claro, à originalidade de uma história de cowboys homossexuais. Ah, e tem Jake Gyllenhaal, a maior revelação do cinema mundial nos últimos anos, mais concretamente desde o extraordinário Donnie Darko. Mais info sobre o novo de Lee aqui. Para algo completamente diferente, The Fountain. Darren Aronofsky realizou em 2000 Requiem for a Dream (que eu não me lembro de ter visto) e aparece agora com um pedaço de bizarria. O senhor descreve The Fountain assim: ""It's a post-Matrix, metaphysical Sci-Fi movie, and it's very different to anything you've seen. I call it post-Matrix because Matrix reinvented sci-fi in the same way Star Wars did, or 2001." Na prática, pelas escassas informações e trailer disponíveis, a coisa anda à volta de três histórias paralelas com espaços de um milénio entre si. O trailer é prometedor, mas deve ser daquelas coisas que ou sim ou sopas. Esperemos que sim. Para algo também diferente, Everything is Illuminated, de Liev Schreiber. O senhor Schreiber é um actor e este é o seu primeiro trabalho. Mas o filme parte do livro homónimo de Jonathan Safran Foer. Diz quem leu (nomeadamente o shôr Nuno Markl) que a coisa é fabulosa (está à venda na FNAC Colombo, por exemplo, e custa menos de nove euros, em versão original). O próprio Foer entra no filme, tal como Elijah Wood, cuja carantonha ocupa todo o cartaz oficial. O IMDB resume o argumento assim: "A young Jewish American man endeavors to find the woman who saved his grandfather during World War II in a Ukrainian village, that was ultimately razed by the Nazis, with the help of a local who speaks weirdly funny broken English." Mas pelo trailer isto é só mesmo o mote, a coisa é wild and crazy. Mais info aqui. Por fim, Good Night, and Good Luck. A estreia a sério de George Clooney atrás das cameras (e à frente também) pesca logo na história do próprio pai, histórico jornalista pivot de televisão que se viu mergulhado no pior do McCartismo, na década de 50. Também com pergaminhos de Veneza, o filme tem potencial para ser uma das surpresas do ano. Todo a preto e branco, parece que faz um acerto de contas com o século vinte norte-americano, e isso é sempre de louvar. Site oficial aqui. Claro que no meio disto tudo há filmes novos de Wim Wenders (Don't come Knocking, estreia a 30 de Março), François Ozon (Le Temps Qui Reste, 23 de Março), Neil Jordan (Breakfast on Pluto, 16 de Fevereiro), Nick Cassavetes (Alpha Dog, 27 de Abril), Woody Allen (Match Point, 19 de Janeiro) e outros. É ver. Ide ao cinema, gente, ide.