IndieLisboa 2008: lançamento

Pela primeira vez, o Animatógrafo tira férias para se dedicar em exclusivo a um festival de cinema. Acontecerá de novo este ano, lá para Outubro, no DocLisboa, mas para já o Indie será a segunda casa do Anim, de 24 de Abril a 4 de Maio. E como lançamento, uma espreitadela à programação, já conhecida. Primeiro que tudo, a abertura sob a responsabilidade de um enorme Wong Kar Wai, com o novo My Blueberry Nights. A estranha Norah Jones (!) tem o papel principal, mas Jude Law ou Natalie Portman também andam por lá, numa história de procura individual do rumo depois de um desgosto amoroso. Depois há muita muita coisa. Nomes grandes? Abel Ferrara, com Go Go Tales, filme de cabaret de Manhattan a piscar o olho a Cassavettes. Mike Leigh, com Happy Go Lucky, que já passou por Berlim e pode ser uma comédia de ar bem fresco na carreira do britânico mais conhecido pelo realismo de lágrima abundante. Harmony Korine, rebelde independente autor de Julien Donkey Boy que traz Mister Lonely, filme delírio com freiras a saltar de aviões sem pára-quedas ou comunidades de sósias que acreditam ser os originais. A fechar estará Ken Loach, a dizer que It's a free world, filme documento sobre a imigração ilegal e o seu papel no mercado de trabalho num país europeu. Em competição internacional, destaque teórico para La France, de Serge Bozon, onde a mulher de um soldado da Primeira Guerra Mundial, quando rejeitada por carta, decide disfarçar-se de homem e ir à procura do marido pelo meio do confronto; Momma's Man, de Azazel Jacobs, que olha para um adulto que regressa ao quarto de infância e não consegue sair, preso às memórias que sabe não poder repetir; A Zona, a primeira longa aguardada de Sandro Aguilar, sobre a descida à "zona" como tentativa de salvação de uma mãe. Em secções apostas, olhos para os heróis independentes, Johnnie To e José Luis Guerin, e para o novo cinema romeno, em fase de enorme expansão. Na área musical atenções para Bananaz, o falado documentário sobre, claro, os Gorilaz, realizado por Ceri Levy, Joy Division, de Grant Gee, Lou Reed's Berlin, de Julien Schnabel, e Patti Smith: Dream of Life, de Steven Sebring. Há também filmes sobre o próprio cinema, filmes para crianças, eventos paralelos, conferências, workshops, o diabo a quatro. O Animatógrafo, como em anos anteriores, fará uma cobertura extensa do evento, com críticas aos filmes vistos e um balanço. Desta feita, o objectivo é ver todos os filmes a competição internacional, e alguns dos referidos noutras secções. O Indie vem aí. Amen.