docLisboa 2005: Before the flood (***)

Depois de um dia de descanso forçado (por falta de bilhetes), voltei ao docLisboa para ver Before the flood, trabalho de Yan Yu e Li Yifan sobre o desalojamento de milhares de pessoas na cidade histórica de Fengiie. O pano de fundo é o maior projecto hidroeléctrico do mundo, a barragem das Três Gargantas no rio Yangtsé, que deverá estar concluído em 2009. No entanto as águas já sobem desde 2002 e foi antes disso que os dois chineses andaram atrás de compatriotas a registar todo o processo de destruição de uma cidade, mais do que o de construção de outra. Pode dizer-se que Fengiie é China profunda. Construída na margem do rio, ao longo de uma enorme serra com acentuado grau de inclinação, constitui-se como um aglomerado de habitações sub-humanas que cresceram a partir da porta com arco que marca a presença fundadora. O filme, sem narração ou qualquer tentativa explicativa, limita-se a registar e seguir os habitantes durante todo o processo de abandono dos espaços. A maior parte dos edifícios são deitados abaixo à marreta, estando a implosão reservada para uns quantos de dimensão considerável. Mais um documentário cru e sem preocupação para além da de mostrar a realidade, Before the flood acaba por criar a imagem de uma China sem neons nem bicicletas a circular, um país onde os produtos chegam de barco e são carregados aos quilos escadaria acima, nos ombros dos homens. Panelas fumegam à entrada das casas. Entalada pelo crescimento caótico, uma igreja cristã protestante, erguida em 1905 por um missionário anglicano, tenta apaziguar as almas que desistiram das igrejas clandestinas mas não vêm Buda como a orientação suprema. Fengiie, à beira da destruição total, é um espaço de conflito unipessoal iminente, pela falta de oportunidade de uma vida nova noutro lado, pelo sentimento de abandono por parte do "partido", onde cada discussão começa com "camarada" e acaba com insultos e agressões descoordenadas. Fengiie transforma-se, ao longo de todo o filme, num cenário de guerra sem balas, à espera da grande inundação, condenada, como um fantasma que se concretizará no silêncio absoluto e perpétuo. Mesmos os mais resistentes, mesmo os que empilham os tijolos inteiros que sobram das implosões o sabem. Yan Yu e Li Yifan acabam por aproveitar algo que se documenta a si mesmo, limitando-se a seguir o ritmo dos acontecimentos e concretizar planos que poderiam escapar ao olhar de quem lá estava. Os 143 minutos são exagerados, e o trabalho dos dois chineses pode pecar sobretudo por aí, por querer uma exaustão que não era necessária. A montagem é competente e a escolha dos "personagens" a seguir é feliz. Não sendo um objecto esteticamente arrebatador, nem sequer completo nas suas diversas vertentes, Before the flood mostra aquilo a que se propõe com rigor. E às vezes não se pode exigir muito mais.